quarta-feira, 14 de outubro de 2009

QUANDO VI AQUELE GOL I: O GAROTO QUE COMEMOROU COM EVAIR

Há alguns anos conheci um rapaz muito especial, com uma história peculiar. Sua vida foi cheia de tristezas, porém muito feliz devido à forma como aproveitou aquilo que ela tinha de bom. Ele faleceu em fevereiro, me deixando com imensa saudade. Porém, há uma história verdadeira de sua infância que mudou sua vida. É uma história tão linda que eu não poderia guardar apenas para mim.


Ele era jovem, hoje teria 25 anos, mas como costumava dizer, possuía pouca vida. Seu coração era fraco, sofria de insuficiência, e ele preferiu aproveitar bem as poucas coisas boas da vida curta que teria a sofrer longos anos com tristes tratamentos. E assim foi.


Uma dessas poucas coisas boas de sua vida era o Parmera, como ele costumava pronunciar, evidenciando seu vocabulário de jovem envelhecido, o que se destacava também nas atitudes: não tinha vontade de comprar as camisas atuais, sempre preferia uma retro, ou alguma original dos anos 80, já aposentada pelo pai. As que marcavam grandes momentos dos anos 90 eram sagradas, não gostava nem de tocar. Eu sempre brincava dizendo que iria guardar uma camisa atual para que ele pudesse usar daqui a 30 anos. Mas, ambos sabíamos, era algo praticamente impossível. Ele jamais viveria tudo isso...Olha, ele gostava de ir aos jogos do Palmeiras. Tinha guardados todos os comprovantes. Desde que era pequeno até os 24 anos foram 199 jogos. Para alguém que morava no interior e sofria de doença grave, era um número grande. Sonhava em completar o número 200 comigo, em um jogo da Libertadores de 2009, mas o tempo não deixou.


Uma de suas grandes lembranças, da qual sempre falava, era a do gol de Evair na final do Paulista de 93. Dizia sempre que naquele momento, mesmo sem saber, Evair mudou sua vida. Em um diário que mantinha, escreveu as seguintes palavras: “Eu estava lá, pertinho do gol. Tinha apenas 9 anos, já doente do coração, minha mãe ficou louca porque meu pai resolveu me levar ao jogo. ‘Você vai matar o menino hoje’, ela dizia, mas meu pai respondia que o importante na vida era morrer feliz. E nós fomos. Eu estava eufórico, era minha primeira vez num jogo do Palmeiras, tínhamos que levar aquele título e eu não desisti, sonhei até o fim. E no fim era só Evair e o goleiro. Pênalti. Quando ele chutou, eu disse ao meu pai que ele iria acertar e iria comemorar comigo. Dito e feito, ele acertou. E então todo mundo começou a gritar e pular feito doido, éramos campeões depois de tanto tempo. Eu nunca tinha visto o Palmeiras ser campeão, então foi uma das maiores alegrias da minha vida. Mas eu não comecei a pular, nem gritar, fiquei ali parado esperando o Evair vir comemorar comigo. E então ele veio correndo, e abriu os braços ali, bem na frente de onde eu estava, ele era meu ídolo e pra mim aquilo foi como um abraço. Eu sempre fui muito quieto, não costumava pular nem gritar, mas naquele momento extrapolei. A felicidade era tanta! Eu só me lembro que dei um grito de “campeão”, e quando comecei a pular tudo ficou escuro. Acabei nem vendo o juiz apitar. Foi a primeira vez que passei mal devido ao coração. Minha mãe estava certa, foi ali que comecei a morrer. Mas graças ao Palmeiras, a Evair e ao meu pai, eu comecei a morrer feliz”.


A partir desse dia ele acatou a idéia lançada pelo pai. Sabia que sua vida era curta, mas estava determinado a morrer feliz. E foi assim que, aos 24 anos, conseguiu sorrir ao dar seu último suspiro. Viveu momentos importantes como torcedor do Palmeiras. Presenciou títulos, conheceu jogadores, viu São Marcos brilhando em 99, sonhava em ver o Palmeiras campeão brasileiro nesse ano. Nunca conheceu Evair, mas morreu tendo a certeza de que naquele dia eles comemoraram juntos, pois o ídolo correu de braços abertos na direção daquele pequeno menino sonhador de apenas 9 anos. As pessoas nem imaginam como pequenas atitudes, às vezes involuntárias, podem mudar a vida de alguém. Obrigada, Evair.


28 comentários:

  1. Meu... eu li de novo
    ... eu chorei de novo

    ResponderExcluir
  2. Não tem como não chorar! Muito lindo!

    E como vocês sabem, eu acredito que ele esteja feliz com todos esses pensamentos pra ele. E tenho certeza de que verá o Palmeiras campeão.

    ResponderExcluir
  3. Manuel Martinez Gomes14 de outubro de 2009 23:43

    Renata - as palavras que saem do coração são justamente aquelas que são eternizadas. O rapaz veio a este mundo com uma missão: fazer cada um que está lendo este texto que a vida deve ser vivida. Sem excesso, mas com energia. Sem medo, mas com alegria. Sem vergonha, mas com orgulho de estar vivo. E neste momento, vale a pena pensar no rapaz e agradecer a ele pela oportunidade de todos nós conhecer sua história, e perceber que deixamos muitas coisas de lado por besteira. Quem puder, abrace seu pai, sua mãe, seus irmãos, seus filhos. Vale a pena. Obrigado Renata, obrigado rapaz, e obrigado Evair. Saibam todos que um simples caminhar em direção a alguém desconhecido, de braços abertos, pode representar a diferença entre sofrer ou morrer com alegria no coração.

    ResponderExcluir
  4. O Evair tem que saber disso. Vai chorar também!!!

    ResponderExcluir
  5. Renata,
    você, ele, Evair e o Palmeiras merecem tudo isso.
    O Love vai correr em direção a ele na festa do penta.

    Parabéns a todos.

    Mauro Beting

    ResponderExcluir
  6. Texto emocionante, renovador da esperança, motivo de reflexão pra todos nós.

    No fundo de sua alma, esse jovem anjo sempre conheceu Evair e permanecerá em cada um de nós que demonstramos nosso amor e união pelo Palmeiras.

    Parabéns, Renata!

    Toninho Garcia

    ResponderExcluir
  7. Belíssimo relato.
    Momentos sublimes como esse, só acontecem com palmeirenses....

    ResponderExcluir
  8. Nossa, emocionante mesmo!
    Chorei lendo o texto e chorei de novo vendo o vídeo.
    Tomara que essas palavras cheguem ao Evair.

    ResponderExcluir
  9. Pow Raphaello!!!!!!!!!!!!!!
    Assim vc mata os outros de emoção!!!!!
    Lagrimas estão rolando!!!!!!!!
    vlw......

    PS peço permissão pra postar em um forum!!!!
    Mande me um email com resposta!!!!!

    ResponderExcluir
  10. As pessoas nem imaginam como pequenas atitudes, às vezes involuntárias, podem mudar a vida de alguém

    lindo


    leo dubau

    ResponderExcluir
  11. Meo Deus q e issu chorei agora.. uma historia linda... o Evair tem q ver issu concerteza vai c emocionar tambem!!!!
    fui uma perca.. esse ano por palmiereas perde esse garoto... pode ter certeza!! VERDADEIRO PAÇMEIRENSE.. ME ORGULHO DE SER PALMEIREN SE... agora.. me orgulho muito mais
    meo nome e Merco Aurelio

    ResponderExcluir
  12. ele vai VER O PALMEIRAS CAMPEAOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

    LEOOOO

    ResponderExcluir
  13. Meo Deus q e issu chorei agora.. uma historia linda... o Evair tem q ver issu concerteza vai c emocionar tambem!!!!
    fui uma perca.. esse ano por palmiereas perde esse garoto... pode ter certeza!! VERDADEIRO PAÇMEIRENSE.. ME ORGULHO DE SER PALMEIREN SE... agora.. me orgulho muito mais
    SOU O MARCO AURELIO

    ResponderExcluir
  14. e pode ter certeza q lah de cima.. perto de Deus esse mlk vai ver o verdao ser pentacampeao Brasileiro!!!!!!
    mensagen de:Marco Aurelio

    ResponderExcluir
  15. Lindo relato,emocionante,só nós palmeirenses sabemos o qnto é emocionante ter esse time no coração.

    ResponderExcluir
  16. Como disse o pai de um jovem que comentou hj por aqui.... "explicar a emoção de ser palmeirense a um palmeirense é desnecessário, e explicar a quem não é palmeirense é impossivel" ... foi isso mesmo, Mauro?!?!

    Essas e outras fazem com que cada vez mais eu sinta orgulho de poder dizer pra todo o mundo que EU SOU PALMEIRAS!

    Parabens pelo texo
    Emerson Prebianchi

    ResponderExcluir
  17. Alguem manda isso pro Evair pra diretoria toda do Palmeiras e pra todos os jogadores, alguem porfavor mostra o quanto o Palmeiras é importante na nossa vida e o quanto a gente ama esse clube que sempre deu motivo de orgulho pra gente, dizem a eles que só falta 8 rodadas e que nao importa se a gente nao for campeao mais que pelo menos lutem até o ultimo minuto do ultimo jogo desse ano

    ResponderExcluir
  18. Absolutamente emocionante esse texto. Valeria a pena dar mais detalhes sobre quem foi esse garoto, quando nos deixou, se possível até uma foto...Ele,esteja onde estiver, estará torcendo e intercedendo por nós lá em cima...

    ResponderExcluir
  19. não tem como não chorar ! muito emocionante !

    ResponderExcluir
  20. Estou emocionado...... Todos os jogadores deveriam saber o papel q tem na vida de um torcedor.....
    Fique em paz amigo PARMEIRENSE....

    ResponderExcluir
  21. Está difícil parar de chorar, pois a comoção é muita! Saiba Renata e família que a vida terrestre desse jovem pode ter sido curta, mas sua alegria em aproveitar os momentos que pode com certeza é mais valioso do que ter uma vida longa e infeliz, como muitos o são.
    Peço que me autorize a mandar esse texto para meu filho (palmeirense desde pequenino, seguindo o bom exemplo dado pelo pai) que está nos confins do Brasil muito chateado por não ver nosso Verdão jogar. Saiba que esse espírito alvo e verde, que hoje está nas graças do Pai, estará hoje e sempre olhando para nostro time. Torcendo sempre.
    Isto tudo demonstra a mais linda frase de nosso hino "transformando a lealdade em padrão". Sejamos leais como nosso time como ele foi, mas sejamos leais também com nossos familiares, amigos, companheiros de trabalho, rivais, enfim, como todos.
    Obrigado por essa lição de vida e peço a Deus que dê-lhes força para superar a perda e seguir em frente.
    Dá até para ver o Evair ali, parado na frente dele comemorando. Vagner Love fará isso por nós este ano.
    Fábio

    ResponderExcluir
  22. luis henrique r santos16 de outubro de 2009 22:18

    Com certeza texto emocionante, eu estava la no estadio nesse dia 12/06/93, aos 27 anos de idade para ver meu time campeão pela primeira vez, realmente so qm vive um time intensamente para saber a emoção q se sente, chorei la na hora , e estou chorando agora de novo


    luis henrique r santos(xiquento)

    ResponderExcluir
  23. Renata,

    Histórias como esta enobrecem a vida da família alviverde. Uma vida que não é feita apenas do esporte e mais especificamente do futebol. A vida verde, "vermelha?" e branca é feita também de cotidiano e bastidores; de seres humanos; em carne e osso.

    Confio que o outrora menino, Daniel, esteja domingo na estrutura de cimento armado de Palestra Itália, cantando e vibrando, ajudando a levar os gladiadores da Savóia ao título máximo de melhor do Brasil.

    "Construir para poder conquistar! Acreditar sempre!"

    PS: Texto mais do que oportuno.

    ResponderExcluir
  24. lindo cara apesar de tudo que passamos esse ano palmeiras é palmeiras e senpre repito... senpre seremos OS MELHORES

    ResponderExcluir